terça-feira, 20 de junho de 2017

pra manter separado



só mesmo o privilégio
pra manter separado/ o que vivo

daquilo que escrevo/ o que sinto
do estômago cheio

do apartamento alugado/ da mesa
coberta de livros

só mesmo o privilégio pra manter
separado/ o que sonho

daquilo que faço/ do fio com
que teço/ cada dia

que passa/ pra manter separado
um poema/ da dor

em volta/ do calor do corpo/ do amor
que me acorda


terça-feira, 13 de junho de 2017

de amor e destroços



tive um sonho/ a gente punha tudo
isso abaixo e recomeçava
do zero/ a gente punha tudo isso

abaixo e reinventava tudo
de outro jeito/ sem dualismo/ sem
dinheiro/ sem lucrar com

a dor de ninguém/ a gente punha
tudo isso abaixo e fazia das cinzas
desejo/ um desejo sem

consumo/ sem objeto/ punha
tudo isso abaixo e perdia
o medo/ o privilégio/ punha tudo

isso abaixo e de sonho/
de amor e destroços/ dava forma
ao desconhecido 


quinta-feira, 8 de junho de 2017

alguma resistência



lenços de papel nos assentos
do trem/ mais alguém
desempregada/ mais alguém
precisando de dinheiro
pra dar de comer às filhas

mais alguém desaparecida/
garota de 16 anos/
cerca de 1,60m de altura/
cabelo curto pintado/
metade preto/ metade rosa

mais alguém falando
sozinha/ murmurando palavras 
sem sentido/ pedindo 
ajuda sem saber como/ 
se ainda dá tempo

mais alguém amando com 
força/ com urgência/
como se fosse a única coisa/ 
o último dia/ o último 
fio de esperança/ alguma
resistência