sexta-feira, 20 de outubro de 2017

viram flores



o mundo envelhece
horizontes morrem
reacendem
gemidos de amor
ecoam nas paredes
borboletas sem nome
braços que insistem
se estendem
sobre abismos
cada vez mais fundos
sobre segundos
cada vez mais assassinos
sobre horas de amor
cada vez mais raras
na tua ausência
tudo em volta
é uma boca seca
a sede mata
a gente luta
com as armas
que ainda restam
o mundo envelhece
sonhos apodrecem
viram flores

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

#



na calçada
alguém revira lixo
atrás de comida




pelas ruas
primaveras floridas
pessoas com fome

 

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

#



sinos dobram
gemidos de amor
ecoam no vento



o corpo envelhece
sonhos apodrecem
viram flores